Editora LetraSelvagem

Literaura Brasileira

Os melhores escritores do Brasil

Ricardo Guilherme Dicke

Romance, Poesia, Ficção

Deus de Caim

Olga Savary

Nicodemos Sena

Edivaldo de Jesus Teixeira

Marcelo Ariel

Tratado dos Anjos Afogados

LetraSelvagem Letra Selvagem

Santana Pereira

Sant´Ana Pereira

Romance

Nicodemos Sena

Invenção de Onira

A Mulher, o Homem e o Cão

A Noite é dos Pássaros

Anima Animalista - Voz de Bichos Brasileiros

A Espera do Nunca mIas (uma saga amazônica)

O Homem Deserto Sob o Sol

Romancista

Literatura Amazonense

Literatura de Qualidade

Associação Cultural Letra Selvagem

youtube
Destaque Cadastre-se e receba por e-mail (Newsletter) as novidades, lançamentos e eventos da LetraSelvagem.
Lançamento do livro K - O escuro da semente

Críticas

Fonte maior
Fonte menor
Uma novela e outros textos
Página publicada em: 22/09/2015
Fernando Py
A exploração do homem pelo homem na mítica região do Japará, criada pelo escritor baiano Cyro de Mattos (Texto publicado originalmente no jornal "Tribuna de Petrópolis", de 10 de julho de 2015)
O escritor baiano Cyro de Mattos (Itabuna, 1939) é um nome consagrado. Contista, poeta, romancista e autor de livros para crianças, participou de diversas antologias no Brasil e no exterior; recebeu diversos prêmios e pertence à Academia de Letras da Bahia.
 
Temos em mãos agora seu novo livro, o romance Os ventos gemedores (Taubaté, SP: LETRASELVAGEM, 2014). nas suas doze partes narra-se uma história que se passa no território fictício de Japará, sul da Bahia, onde a fúria gemedora dos ventos acentua o caráter desesperado dos personagens, envoltos na natureza bárbara do ambiente. Através deles, o autor vai revelando dramas, opressões, ambições e misérias. Entretanto, Cyro de Mattos está isento de um estilo panfletário e adota a linguagem simples das pessoas que contam casos narrados pelos ancestrais.
 
Na região do Japará, a mata hostil e impenetrável vai cedendo lugar às primeiras roças de cacau e campos de pecuária. A narrativa se desenvolve no conflito sustentado entre a dominação do cacaueiro Vulcano Brás, dono de grandes terras na região, e o vaqueiro Genaro, que busca uma vida livre e justa. Com isso, o leitor há de perceber o sinal do narrador dramático a mesclar magistralmente o real e o fantástico neste relato perturbador. Relato em que pulsam as violências de um homem faminto de poder, sempre a degradar outros homens indefesos contra seu egoísmo e sua impiedade.
 
Nesses personagens primitivos soube Cyro de Mattos criar uma dimensão interior com base na explosão dos dramas e misérias gerais. Os ventos gemedores é um belo romance que deve ser lido cuidadosamente para ser bem apreciado.
 
(...)
 
____________
* Fernando Py é poeta, crítico literário e tradutor; autor, entre outros, de Aurora de vidro e Vozes do Corpo

Faça seu comentário, dê sua opnião!

Imprimir
Voltar
Página Inicial

Autores Selvagens

Autor

» Nelly Novaes Coelho

Nelly Novaes Coelho nasceu na capital de São Paulo, em 17 de maio de 1922, pouco depois da Semana de Arte Moderna. Em 1960, inicia a carreira de docente universitária, como professora-assistente do Prof. Antônio Soares Amora, área de Literatura Portuguesa. Em 1961, acumula esse cargo com o de professora titular de Teoria da Literatura, na Faculdade de Letras de Marília (onde lecionava nos fi ns de semana). Segue a carreira universitária: doutora em Letras (USP, 1967), livre docência (USP, 1977). Professora-adjunta (USP, 1981) e professora titular de Literatura Portuguesa (USP, 1985). Nesse período, inicia-se como crítica e ensaísta literária, colaborando no Suplemento Literário de “O Estado de São Paulo”. Especializa-se em Literatura Contemporânea (portuguesa e brasileira). No decorrer de sua carreira acadêmica, entrega-se à docência e à crítica, publicando em jornais e revistas do Brasil e do exterior. É reconhecidamente uma das mais importantes críticas literárias e conferencistas de literatura brasileira e portuguesa no Brasil.

Colunas e textos Selvagens

© 2008 Associação Cultural LetraSelvagem - Todos os Direitos Reservados.