Editora LetraSelvagem

Literaura Brasileira

Os melhores escritores do Brasil

Ricardo Guilherme Dicke

Romance, Poesia, Ficção

Deus de Caim

Olga Savary

Nicodemos Sena

Edivaldo de Jesus Teixeira

Marcelo Ariel

Tratado dos Anjos Afogados

LetraSelvagem Letra Selvagem

Santana Pereira

Sant´Ana Pereira

Romance

Nicodemos Sena

Invenção de Onira

A Mulher, o Homem e o Cão

A Noite é dos Pássaros

Anima Animalista - Voz de Bichos Brasileiros

A Espera do Nunca mIas (uma saga amazônica)

O Homem Deserto Sob o Sol

Romancista

Literatura Amazonense

Literatura de Qualidade

Associação Cultural Letra Selvagem

youtube
Destaque Cadastre-se e receba por e-mail (Newsletter) as novidades, lançamentos e eventos da LetraSelvagem.
Lançamento do livro K - O escuro da semente

Críticas

Fonte maior
Fonte menor
Monumento editorial
Página publicada em: 20/01/2015
Enéas Athanázio
Repercussão do lançamento de "Escritores Brasileiros do Século XX - Um Testamento Crítico", no Estado de Santa Catarina. Resenha do escritores e crítico Enéas Athanázio, originalmente publicada no jornal "Página 3" (31/08/2013, Camboriú-SC). Confira.
Para celebrar os 91 anos de idade de Nelly Novaes Coelho, a Editora LetraSelvagem, de Taubaté (SP), publicou uma obra arrojada e corajosa que constitui um marco no panorama editorial. Trata-se de "Escritores Brasileiros do Século XX - Um Testamento Crítico", contendo análises críticas de nada menos que 81 escritores  que se destacaram nas letras nacionais no correr do século passado. É um alentado volume de 980 páginas reunindo artigos publicados pela autora em outros livros, na imprensa ou inéditos, produzidos ao longo de 50 anos de militância crítica dessa produtiva escritora, professora da USP (Universidade de São Paulo) e reconhecida "expert" em literatura brasileira. Segundo ela, "foi a sorte ou o acaso que puseram em seu caminho os autores comentados", razão pela qual estão presentes muitos bafejados pela crítica e pelo público e outros pouco divulgados por várias razões.
 
Entre os escritores de grande renome aparecem figuras como Monteiro Lobato, Lima Barreto, Jorge Amado, Érico Veríssimo, Câmara Cascudo, Guimarães Rosa, Ariano Suassuna e muitos outros. Por outro lado, a Autora valoriza autores que tiveram momentos de glória literária e hoje estão esquecidos e muitos que, em que pese o valor de suas obras, nunca chegaram ao grande público. Nesse sentido é um livro justiceiro e ressuscitador. Dentre estes últimos, ela aborda, por exemplo, Adonias Filho e seu impactante romance "O Forte", deveras louvado pela crítica mas apreciado tão somente por leitores maisexigentes; Aníbal Machado, extraordinário romancista e, para meu gosto, insuperável contista, autor de obras-primas como "A morte da porta-estandarte" e "Viagem aos seis de Duília"; Antônio de Alcântara Machado, autor do célebre "Brás, Bexiga e Barra Funda", retratando os imigrantes italianos da Pauliceia, com destaque para o inesquecível Gaetaninho; Antônio José de Moura, autor goiano que permanece pouco conhecido; Antônio Olavo Pereira, integrante do grupo de Lobato, autor do notável romance "Contramão", que me deixou profunda impressão; Augusto Ferraz, Daniel Pastura, Everaldo Moreira Véras, Heleno Godoy, Hilário Tácito, Mora Fuentes, Orlando Bastos, Osório Alves de Castro e mais alguns.
 
Por outro lado, tive a satisfação de encontrar autores que me são ou foram caros e cujas obras admiro de longa data: Ascendino Leite, João Antônio, Paulo Dantas e Herman José Reipert. Não faltaram também autores mais recentes, alguns novos, mas de reputação formada: Alaor Barbosa, Caio Porfírio Carneiro, Cyro de Mattos e Nicodemos Sena, autor de uma obra apreciável, ainda em execução, e ficcionista inspirado, embora bastante jovem. Por fim, foi uma grata surpresa deparar com um ensaio sobre Haroldo Bruno, autor sempre louvado mas pouco analisado pela crítica.
 
Deonísio da Silva, por sua vez, foi o único catarinense a merecer as galas de relevante abordagem crítica, com a circunstância de que a Autora não lhe regateou elogios. Analisando seu romance "Teresa", contendo na abertura breve passagem de Teresa D'Avila, diz a Autora que ela "sintetiza a principal linha de força, não só da problemática que energiza o romance, mas também a que dinamiza a arte maior de Deonísio da Silva." Mais adiante: "Escritor pertencente à geração pós-moderna (...), Deonísio está entre os grandes criadores, cuja arte escapa a qualquer tentaiva de uma leitura crítica, que a reduza a uma 'ordem'". E, ainda: "Vista em conjunto, sua escritura ficcional assemelha-se a uma voragem de aconteceres e falares, que se entrecruzam labirinticamente e resistem a qualquer tentativa de retê-la em determinada ordem". Como se conclui, sua obra constitui um desafio posto diante da experiente e traquejada crítica. E se isso não bastasse, os dados biobibliográficos estão recheados das melhores referências. Trata-se, enfim, de uma abordagem consagradora pela qual nós, seus conterrâneos, nos rejubilamos.
 
Lamentei apenas não encontrar no volume outros catarinenses, como Nereu Corrêa, Salim Miguel, Londolf Bell e Péricles Prade, dentre outros. Mas o comentarista há que se ater ao que o livro é e não àquele que gostaria que fosse.
 
Quanto à Editora LetraSelvagem, todos os aplausos ainda serão poucos pela magnifíca iniciativa.
 
______________
* Enéas Athanázio é escritor catarinense; autor, entre outros, de O cavalo inveja e a mula manca

Faça seu comentário, dê sua opnião!

Imprimir
Voltar
Página Inicial
© 2008 Associação Cultural LetraSelvagem - Todos os Direitos Reservados.