Editora LetraSelvagem

Literaura Brasileira

Os melhores escritores do Brasil

Ricardo Guilherme Dicke

Romance, Poesia, Ficção

Deus de Caim

Olga Savary

Nicodemos Sena

Edivaldo de Jesus Teixeira

Marcelo Ariel

Tratado dos Anjos Afogados

LetraSelvagem Letra Selvagem

Santana Pereira

Sant´Ana Pereira

Romance

Nicodemos Sena

Invenção de Onira

A Mulher, o Homem e o Cão

A Noite é dos Pássaros

Anima Animalista - Voz de Bichos Brasileiros

A Espera do Nunca mIas (uma saga amazônica)

O Homem Deserto Sob o Sol

Romancista

Literatura Amazonense

Literatura de Qualidade

Associação Cultural Letra Selvagem

youtube
Destaque Cadastre-se e receba por e-mail (Newsletter) as novidades, lançamentos e eventos da LetraSelvagem.
Lançamento do livro K - O escuro da semente

Críticas

Fonte maior
Fonte menor
Esboço de polifonia
Página publicada em: 10/07/2011
Manuel da Costa Pinto
"Gente Pobre" é a narrativa epistolar que dá início à revolução do romance por Dostoievski (Resenha publicada na Revista São Paulo (encarte da "Folha de São Paulo", 3 a 9 de julho de 2011)
O crítico literário Joseph Frank deu o subtítulo Os Anos Milagrosos ao quarto dos cinco volumes de sua biografia do célebre escritor russo Fiodor Dostoievski (1821-1881), no qual enfoca o curto espaço de tempo em que o romancista russo publicou obras como Crime e Castigo (publicada em 1866), O Idiota (publicada em 1869) e Os Demônios (publicada em 1871). São obras que elevam o realismo do século XIX a um novo plano, em que já não se pode mais falar de "romance psicológico" ou "romance social" - expressões associadas a Stendhal, Charles Dickens e Honoré de Balzac.
 
Dostoiévski faz a paisagem interior de suas personagens invadir o espaço público, cancela as distinções entre esfera afetiva e querelas ideológicas: paixões e ideais se confundem com a força de determinações sociais e econômicas, em uma espécie de materialismo metafísico.
 
Diante desse panorama, ora pois: que valor teria um livro de estreia como Gente Pobre (publicado em 1846), romance epistolar à maneira de As Relações Perigosas, de Laclos, ou Os Sofrimentos do Jovem Werther, de Johann Wolfgang von Goethe?
 
Escrito nos moldes do "ensaio fisiológico" - narrativa naturalista que, na Rússia da época, representava cenas da vida urbana e tipos de classes subalternas -, Gente Pobre trás a correspondência entre o escrevente Makar Dievuchkin e a jovem Varvara Dobroselova.
 
O fio condutor é o assédio de Varvara por um rico dissoluto e os esforços de Makar para evitar o casamento, cumulando-a com presentes que acabam aprofundando sua penúria.
 
Ao longo das cartas, os habitantes de bairros miseráveis desfilam por suas fétidas ruas e quartos de pensão de onde ecoam gemidos e soluços envergonhados e nos dá um quadro das condições sociais críticas do povo russo em pleno século XIX, onde nos deparamos com uma minoria privilegiada ligada ao czar e o restante da massa que vivia em condições insalubres e alarmantes. Com isso, Dostoiévski expõe as relações servis de uma sociedade estratificadora, cujo símbolo é a inadequação pecuniária do amor entre os missivistas e o desfecho no qual Dievuchkin aceita o matrimônio por conveniência de Varvara.
 
Livro que transformou Dostoiévski em celebridade nos círculos literários e políticos de São Petersburgo, Gente Pobre confere autonomia às vozes das personagens e aponta para a "polifonia" que o teórico Mikhail Bakhtin identificou em seus romances de maturidade: um belo esboço para os "anos milagrosos".
 
____________________
Manoel da Costa Pinto é crítico e jornalista, curador da FLIP-Feira Literária Internacional de Parati (2011)

Faça seu comentário, dê sua opnião!

Imprimir
Voltar
Página Inicial

Autores Selvagens

Autor

» Fábio Lucas

Professor, ensaísta, tradutor, crítico e teórico da literatura, lecionou em seis universidades norte-americanas, cinco universidades brasileiras e uma portuguesa. Dirigiu o Instituto Nacional do Livro em Brasília, bem como a Faculdade Paulistana de Ciências e Letras. É autor de mais de 50 obras de crítica e ciências sociais. Considerado um dos mais importantes críticos e conferencistas internacionais de literatura brasileira.

Colunas e textos Selvagens

© 2008 Associação Cultural LetraSelvagem - Todos os Direitos Reservados.