Editora LetraSelvagem

Literaura Brasileira

Os melhores escritores do Brasil

Ricardo Guilherme Dicke

Romance, Poesia, Ficção

Deus de Caim

Olga Savary

Nicodemos Sena

Edivaldo de Jesus Teixeira

Marcelo Ariel

Tratado dos Anjos Afogados

LetraSelvagem Letra Selvagem

Santana Pereira

Sant´Ana Pereira

Romance

Nicodemos Sena

Invenção de Onira

A Mulher, o Homem e o Cão

A Noite é dos Pássaros

Anima Animalista - Voz de Bichos Brasileiros

A Espera do Nunca mIas (uma saga amazônica)

O Homem Deserto Sob o Sol

Romancista

Literatura Amazonense

Literatura de Qualidade

Associação Cultural Letra Selvagem

youtube
Destaque Cadastre-se e receba por e-mail (Newsletter) as novidades, lançamentos e eventos da LetraSelvagem.
Lançamento do livro K - O escuro da semente

Críticas

Fonte maior
Fonte menor
Engenho, arte e encantamento
Página publicada em: 18/10/2009
Tanussi Cardoso*
De como o romancista da Amazônia, Nicodemos Sena, leva o leitor a adentrar, vivenciar e compreender as misérias e os problemas das gentes amazônicas, recriando seus mitos, incluindo seus personagens dentro do contexto social e histórico, transformando um enredo regional e particular num roteiro universal (Resenha publicada originalmente no jornal "Rio Letras", nº 23, 2004, Rio de Janeiro)
Difícil lembrar de algum romance brasileiro, na atualidade, de literatura tão fragmentada, a conseguir amalgamar tantas qualidades: narrativa envolvente e bem construída, divertido, mas apresentando uma reflexão sobre a realidade, com personagens que transmitem tensão e sentimentos humanitários. Difícil imaginar, igualmente, que esse seja um romance de estréia, tal a maturidade de sua escrita, sua força imagéti-ca e poética, e, principalmente, por seu rigoroso estilo de linguagem.
 
Tendo a Amazônia como pano de fundo, em histórias narradas com uma técnica exuberante e sedutora, A Espera do nunca mais (Ed. Cejup, 1998), romance do paraense radicado em São Paulo, Nicodemos Sena (1958), atinge a sensibilidade do leitor de tal maneira, que é praticamente impossível se afastar de suas 876 páginas! Nicodemos Sena não tem medo das palavras, nem do estresse cotidiano. Com grande pulso dramático, numa linguagem fluida e líquida, como as águas do Amazonas, o autor utiliza-se, estilisticamente, da lentidão advinda da própria geografia do lugar, seus personagens aparecem, desaparecem e se reencontram sem pressa, mostrando suas faces e casos, como se tudo e todos estivessem dentro de um grande labirinto de selvas ou navegando dentro de seus rios, na certeza de que, num dia qualquer de um lugar qualquer, voltarão a se rever. É sobre o outro, sobre a possibilidade de um futuro sonhado, enfim, sobre nossas humanidades, que o autor se debruça em seu belíssimo livro, onde a palavra é o veio principal.
 
Fugindo dos estereótipos, a Amazônia de Nicodemos é, antes de mais nada, palco crítico da disputa de grandes inte-resses econômicos, tendo como mote os problemas da chegada do grande capital. Inteligente, o autor faz-nos adentrar, vivenciar e compreender as misérias e os problemas de suas gentes, recriando seus mitos, incluindo seus personagens dentro do contexto social e histórico, transformando um enredo regional e particular num roteiro universal. Mistura de realidade e ficção, A espera do nunca mais reflete sobre a história brasileira, mas não é politicamente “engajado”, é, sim, um romance lírico de suspense, que narra a agonia de uma região inteira quase a morrer.
 
Nicodemos Sena levou sete anos trabalhando em seu livro! É um trabalho corajoso, digno de aplausos, que não tem como objetivo primordial agradar ao mercado, visando ao sucesso a todo preço. Na contramão dos valores impostos por uma sociedade materialista, de bens descartáveis, A espera do nunca mais exigiu muito rigor, pesquisa, seriedade, sofrimento, dúvida, insegurança, lucidez, perseverança. O escritor deve ter corrido riscos por não se deixar aprisionar por fatores editoriais nem temáticos. Deve ter pagado o preço dessas dificuldades, mas obteve o lucro da gratidão de sua consciência. Em 2000, A espera do nunca mais ganhou o prêmio Lima Barreto/Brasil 500 Anos, da UBE/RJ. Sabemos que prêmios são, tantas vezes, glórias fugazes, mas, é bom que se diga, um romance como esse é pedra rara, só se encontra uma vez ou outra.
 
Nicodemos Sena merece que seu nome seja revelado de imediato para todo o país como um dos grandes escritores brasileiros contemporâneos!
 
_________________
*TANUSSI CARDOSO é poeta e jornalista, autor de Viagem em torno de (Ed. Sete Letras, RJ)

Faça seu comentário, dê sua opnião!

Imprimir
Voltar
Página Inicial
© 2008 Associação Cultural LetraSelvagem - Todos os Direitos Reservados.